IGREJA SE MOBILIZA PELAS VÍTIMAS DA CHUVA

A 1ª Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Mateus-ES enviou mais um caminhão de doações para as cidades do Sul do Estado atingidas pelas fortes chuvas. Os moradores de Muniz Freire, Alfredo Chaves e Castelo receberão nessa sexta-feira (31/01) 134 cestas básicas, produtos de limpeza, materiais de higiene pessoal, roupas, calçados, brinquedos e alimentos não-perecíveis. Além disso, foram enviados 60 galões com 20 litros de água, 200 garrafas de água de 1 litro e 1.000 fardos de garrafas de água com 500 ml. Ao todo, a organização estima ter arrecadado mais de 10 toneladas.

Após uma oração, às 18 horas da tarde dessa quinta-feira (30/01), o caminhão partiu em direção à cidade de Muniz Freire, onde a 1ª Igreja Assembleia de Deus do município receberá as doações e será responsável por organizar todo o material coletado e atender as vítimas das cidades vizinhas.

Harry Pinha, coordenador da Ação Social, fez um balanço positivo da mobilização e se emocionou: “Eu glorifico a Deus pelos voluntários que se disponibilizaram, principalmente os jovens. É uma coisa que não tem preço. Foi um trabalho lindo em que toda a igreja se envolveu e ajudou bastante. Somos Igreja, a Igreja somos nós e é essa a nossa função”.

Ele destaca, ainda, que não só membros da Igreja, mas também pessoas da cidade inteira trouxeram suas doações durante a semana para os pontos de coleta da campanha montados no centro da cidade, na Livraria Gênesis e na Central de Ambulância. A ação foi realizada com o apoio da Secretaria de Missões da Igreja (Semadesma) e o Instituto de Desenvolvimento Social Pastor Antonio Gomes (IPAG).

Na quinta-feira passada (23/01), foi enviado o primeiro caminhão com a mesma quantidade para Iconha, uma das cidades mais destruídas. Segundo a Defesa Civil Estadual, mais de 12 mil pessoas ainda estão fora de suas casas em 27 municípios, devido às enchentes e deslizamentos de terra, que causaram grande devastação nas casas e no comércio.

O Pastor Presidente Klevison Gomes agradece aos que ajudaram e enfatiza que “a Igreja de Cristo, realmente, não pode ficar isenta nessas situações e precisa cumprir o que a Palavra do Senhor ordena, estendendo as mãos aos necessitados”.